Exitoína
Facebook ExitoínaTwitter ExitoínaYoutube ExitoínaInstagram ExitoínaTelegram Exitoína
Cinema » POLÊMICA

Filme de gangues é banido sob alegação de incitar a violência e redes de cinemas são acusadas de racismo

Com elenco predominantemente negro, Blue Story estreou no último dia 22 de novembro no Reino Unido

Redação Publicado em 26/11/2019, às 09h24

Blue Story, filme sobre gangues, foi banido de cinemas no Reino Unido sob a alegação de racismo e redes foram acusadas de racismo
Blue Story, filme sobre gangues, foi banido de cinemas no Reino Unido sob a alegação de racismo e redes foram acusadas de racismo - YouTube

Duas redes britânicas de cinema decidiram tirar de cartaz o filme Blue Story, que estreou no último dia 22 de novembro no Reino Unido, sob a acusação de que a história incita a violência.

Na trama, dois adolescentes negros, amigos de infância, frequentam o mesmo colégio, mas vivem em bairros diferentes de Londres e acabam envolvidos, contra a sua vontade, em uma briga de gangues rivais.

+ Leia mais: Adolescente de 13 anos é detida após se envolver em briga de facão durante uma sessão de Frozen 2 na Inglaterra

A decisão foi tomada após um conflito entre cerca de 100 jovens ser registrado, na noite de sábado (23), em uma sala de cinema da rede Star City na cidade de Birmingham, na Inglaterra. Grupos de jovens se enfrentaram, alguns deles armados com facas, resultando em seis presos, incluindo adolescentes, e sete policiais feridos.

Em decorrência do incidente, o grupo Vue, que é responsável pela rede Star City, decidiu tirar o filme de seus 91 cinemas no Reino Unido e na Irlanda. Em seguida, outra rede, a Showcase Cinemas, também retirou o filme de cartaz.

+ Leia mais: A Fazenda: Lucas Viana é acusado de assédio após tentar dormir com Hariany Almeida

"Devido a recentes incidentes ligados à divulgação do filme Blue Story, a Showcase Cinemas retirou-o imediatamente de todas as nossas salas", declarou um porta-voz do grupo, em comunicado oficial. "Estamos em discussão com o distribuidor sobre a possibilidade de recolocar o filme em cartaz em seu devido tempo."

O diretor do filme, Andrew Onwubolu, também conhecido como Rapman, respondeu ao banimento: "É realmente chato que um pequeno grupo de pessoas possa estragar [a experiência] para todos. Blue Story é um filme que fala de amor, não de violência", declarou. "Rezo para que todos nós possamos nos tratar com tolerância e respeito."

+ Leia mais: Ludmilla mostra que foi vítima de racismo no Prêmio Multishow em vídeo no Instagram

Recentemente, foi noticiado que a briga entre as gangues havia ocorrido durante uma sessão de Frozen 2, mas não houve sanções contra a animação da Disney já que, segundo informações, os espectadores do filme acabaram envolvidos na confusão por acidente.

Coringa, que estreou em outubro, também foi acusado de incitar a violência, mas não foi retirado dos cinemas. Em Nova York, a polícia fez rondas nos cinemas para evitar qualquer possível confusão e um cinema na Califórnia fechou as portas no dia da estreia do longa, após receber uma ameaça de ataque que, felizmente, não passou de alarme falso. Atualmente, o filme dirigido por Todd Phillips (Se Beber Não Case) arrecadou pouco mais de 1 bilhão de dólares em bilheteria ao redor do mundo.

+ Leia mais: Warner Bros. nega que Coringa incentive a violência ao se retratar sobre controvérsias do filme

O jornalista Kehinde Andrews, do The Guardian, alegou que as acusações de que o conteúdo de Blue Story incita a violência são infundadas já que, no momento em que a briga se iniciou, o filme ainda não era exibido. A decisão de tirar o filme dos cinemas, então, foi considerada racista. "Quando um homem matou 12 pessoas durante uma sessão de Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge em Colorado, em 2012, não teve nenhuma decisão de cancelar o lançamento do filme", escreveu.

"Há um pânico contínuo acerca de filmes violentos e se eles podem influenciar atos violentos. Ainda assim, isso nunca impediu cinemas de continuarem a exibi-los. O Irlandês está sendo lançado agora e seu diretor, Martin Scorsese, construiu sua reputação fazendo filmes contundentes sobre gangues (brancas)", acrescentou.

+ Leia mais: Após chamar Sabrina Paiva de "macaca", operador de câmera de A Fazenda é demitido pela Record

O jornalista ainda escreveu que a decisão de banir o filme vem em um momento em que há "uma maior repressão à cultura negra", onde o "YouTube tem removido vídeos, a polícia tem tentado impedir 'membros de gangue' de fazer música e alguns artistas foram presos pelo crime de fazer música".

Sobre o filme, Andrews declarou: "O propósito de Blue Story não é glorificar gangues, mas o oposto. Vic Santoro, um dos protagonistas do filme, espera que ele 'sirva como um dissuador para jovens mais do que um encorajador para eles'".  

+ Leia mais: 7 documentários para refletir sobre a violência contra a mulher nas plataformas de streaming

A discussão fez com que a Showcase Cinemas recolocasse o filme em cartaz na noite de segunda-feira (25), após "cuidadosas considerações e discussões com o distribuidor": "Nós desenvolvemos um plano para reexibir o filme, com um aumento nos protocolos de segurança, e faremos isso a partir dessa noite", declarou a rede de cinemas. No Twitter, o diretor do longa comemorou: "Showcase manteve sua palavra e voltou a colocar Blue Story em seus cinemas", escreveu.

A Vue, no entanto, manteve o banimento alegando que, "durante as primeiras 24 horas de exibição do filme, mais de 25 incidentes foram reportados e escalaram para casos sérios em 16 cinemas", declarou a empresa, em comunicado. "Esse é o maior número que vimos para qualquer filme em tão pouco tempo de exibição." Um porta-voz da empresa confirmou que a polícia havia sido chamada para atender a alguns problemas nos cinemas da rede, mas não confirmou quantas vezes.

 


 

Exitoína agora está no Telegram! Você quer ficar por dentro de todas as novidades? Acesse https://t.me/exitoinabrasil e não perca mais nada!