Exitoína
Facebook ExitoínaTwitter ExitoínaYoutube ExitoínaInstagram ExitoínaTelegram Exitoína
Música » ENTREVISTA

Vocalista do Of Monsters and Men diz que banda não precisa de outro hit como 'Little Talks': 'Não escrevemos assim'

Em entrevista à Exitoína Brasil, Raggi, vocalista do OMAM, comenta sobre relação com o Brasil e a busca por um novo hit de sucesso

Saulo Tafarelo Publicado em 31/07/2019, às 18h12

Of Monsters And Men lançaram novo álbum 'FEVER DREAM' após quatro anos de hiato
Of Monsters And Men lançaram novo álbum 'FEVER DREAM' após quatro anos de hiato - Divulgação/Republic Records

Depois do sucesso da música Little Talks e de mais dois álbuns de estúdio, o Of Monsters and Men lançou seu mais novo trabalho no dia 26 de julho. FEVER DREAM, escrito desta forma, marca o terceiro disco da banda islandesa depois de quatro anos de hiato, estreando em quarto lugar no iTunes dos Estados Unidos no dia de seu lançamento.

Formada pelos vocalistas Nanna Bryndís e Raggi Þórhallsson, a banda ficou conhecida após a explosão do hit Little Talks, em 2012, que conta com mais de 272 milhões de visualizações no YouTube e cerca de 412 milhões de streams no Spotify. A música faz parte do álbum My Head Is An Animal (2011), primeiro disco da banda, sendo ambos um sucesso comercial.

Diretamente de Los Angeles, sob um clima “muito quente’’, o vocalista Raggi deu uma entrevista à Exitoína, na qual falou sobre o novo álbum, sobre os trabalhos passados, a relação de FEVER DREAM com a perspectiva feminina e se voltará com a banda ao Brasil em breve.

Diferentemente de My Head Is An Animal (2011) e de Beneath The Skin (2015), o indie característico deles é deixado um pouco de lado e o pop rock assume novos ritmos ao longo de FEVER DREAM. A arte visual do novo disco, que pode ser vista através das várias capas do álbum e também nos vídeos já divulgados, complementa as canções. 

“Os visuais e as músicas sustentam uns aos outros simultaneamente’’, diz Raggi com relação à nova estética, que é muito mais “pop e brilhante” que os trabalhos anteriores. 

Quanto ao nome do álbum, escrito em caixa alta, soando quase como um grito ao ouvinte, Raggi opina: “É baseado num sentimento, num espírito que tínhamos para o álbum’’. O título foi mudado diversas vezes pelos membros da banda, até que FEVER DREAM foi o nome perfeito para resumir o que eles tinham em suas mentes. 

Após três discos lançados, o Of Monsters And Men não conseguiu ultrapassar ainda o sucesso que os lançou ao conhecimento mundial. Juntas, as músicas do álbum Beneath The Skin (2015) e de FEVER DREAM não chegam perto das visualizações de Little Talks no YouTube e, para Raggi, isso não parece ser um problema, sendo que o sucesso de uma nova música não pode ser premeditado. “Não posso prever isso, esse não é o jeito que escrevemos música.”

É claro que um outro estouro como o que tiveram com Little Talks é benéfico para toda banda, mas Raggi deixa claro que esse não é o objetivo do Of Monsters and Men. “Adoraríamos ter uma nova música assim tão grande. Escrevemos Little Talks com o coração, nos importamos muito com isso’ ”, diz de maneira sincera. 

Sobre as novas perspectivas que tiveram com o novo álbum, Raggi destaca também o lado feminino do trabalho.

Nanna, que divide o posto de vocalista com Raggi e a fundadora do OMAM, é a única mulher integrante da banda. Sobre isso, Raggi diz que isso tem um impacto nas músicas e na maneira como eles contam a história do álbum. “Acho que as letras da Nanna estão sendo mais profundas, então, sim, esse álbum nos deu um pouco mais do lado feminino. Então acho que é verdade.”, afirma. 

Além da perspectiva que Nanna traz ao álbum, Raggi pontua a relação com o Brasil. Por aqui, o Of Monsters and Men possui uma boa base de fãs, os quais são muito engajados nas redes sociais e não deixam de comentar o típico “come to Brazil” a todo o momento. “Queremos muito tocar de novo no Brasil, é um dos lugares que mais amamos.”, afirma Raggi

Em suas duas visitas por aqui, a banda tocou nas edições de 2013 e de 2016 do Lollapalooza e, sobre uma nova apresentação no festival, o vocalista Raggi foi categórico: “Não fomos contatados ainda, mas esperamos tocar no Lollapalooza novamente.”

Divergindo bastante com FEVER DREAM, o primeiro álbum da banda assumiu uma estética épica e fantástica, sendo que os integrantes da banda fizeram até uma aparição no quinto episódio da sexta temporada de Game Of Thrones

Quando perguntado se a banda irá colaborar novamente para mais alguma megaprodução, seja com músicas ou com suas inéditas atuações, Raggi se esquivou e disse que “no momento não há um grande projeto”.

Mesmo sem um projeto no momento, Raggi disse de maneira esperançosa: “Espero que as pessoas se conectem a esse álbum novo e que novas colaborações para filmes e produções sejam feitas.’’

Brincando ao estilo islandês, Raggi disse que não anda vendo muita televisão e ainda devolveu a pergunta de qual seria sua série favorita no momento: “Alguma sugestão?”. 

++Depois de Maisie Williams, duo Seafret 'dispensa' mais atores de 'Game of Thrones' em clipes: 'Somos famosos agora'

Com três singles lançados, Alligator, Wild Roses e War, FEVER DREAM estreou mundialmente no dia 26 de julho e já está disponível em todas as plataformas de streaming.

Exitoína agora está no Telegram! Você quer ficar por dentro de todas as novidades? Acesse https://t.me/exitoinabrasil e não perca mais nada!