Exitoína
Facebook ExitoínaTwitter ExitoínaYoutube ExitoínaInstagram ExitoínaTelegram Exitoína
Viral » CASO DE POLÍCIA

Dançarina é condenada à prisão por "cometer atos indecentes em público" no TikTok

Sama el-Masry, de 42 anos, foi acusada pelo Ministério Público do Egito de "incitar a prostituição"

Redação Publicado em 30/06/2020, às 17h51

Sama el-Masry em foto publicada em seu perfil
Sama el-Masry em foto publicada em seu perfil - Instagram

A dançarina do ventre Sama el-Masry foi condenada a três anos de prisão no Egito e ao pagamento de uma multa de 300 mil libras egípcias, cerca de R$ 102 mil, por “cometer atos indecentes em público" em suas redes sociais, incluindo o perfil do TikTok.

De acordo com o Metropoles, a mulher de 42 anos foi acusada pelo Ministério Público do Egito de “atos indecentes”, “incitar a prostituição” e “violar os valores familiares da sociedade egípcia”.

Ela foi detida em abril e negou que tenha feito as publicações ao alegar que teve seu celular roubado. O conteúdo teria sido publicado por outra pessoa sem o seu consentimento.

Em declaração à Reuters, John Talaat, membro do parlamento que pediu uma ação legal contra el-Masry e outras usuárias do TikTok, afirmou que a dançarina e outras influenciadoras digitais estavam destruindo os valores e tradições da família. “Há uma enorme diferença entre liberdade e devassidão”, disse.

+ Leia Mais: Dublador de Zac Efron faz Mario Jr se tornar verdadeiro galã de romance adolescente no TikTok

Entessar el-Saeed, advogada de direitos femininos no Cairo, pontuou à Thomson Reuters Foundation que a lei de crimes cibernéticos do Egito, criada em 2018, tem apenas mulhres como alvo. “Nossa sociedade conservadora está lutando contra mudanças tecnológicas que criaram um ambiente e mentalidades completamente diferentes”, afirmou.

 

Exitoína agora está no Telegram! Você quer ficar por dentro de todas as novidades? Acesse https://t.me/exitoinabrasil e não perca mais nada!