Cinema | divo

21 curiosidades sobre Pedro Almodóvar, que estreia seu 21º filme

Reunimos algumas curiosidades sobre o cineasta, que lança 'Dor e Glória' hoje

quinta 13 junho, 2019
Almodóvar nos bastidores de 'Dor e Glória'.
Almodóvar nos bastidores de 'Dor e Glória'. Foto:Divulgação

Pedro Almodóvar, o renomado diretor espanhol, lança nesta quinta-feira (13) o seu 21º filme, Dor e Glória. No Festival de Cannes, o longa conseguiu um prêmio de Melhor Ator para Antonio Banderas.

Não é de hoje a parceria entre os dois: é possível ver Banderas sob a direção de Almodóvar em outros filmes, como Matador (1986), Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos (1988), Ata-me! (1990), A Pele Que Habito (2011), Os Amantes Passageiros (2013) e, agora, Dor e Glória.

E como o novo filme é o de número 21 de Almodóvar, separamos 21 curiosidades do diretor que é amado e conhecido no mundo todo.

Confira as 21 curiosidades sobre Pedro Almodóvar:

1. Ele nunca estudou cinema

Almodóvar nunca estudou cinema profissionalmente pois sua família não possuía condições financeiros para que ele fizesse uma faculdade de cinema.

2. Começou a escrever por causa de sua mãe

A mãe dele era escrivã e ela escrevia diversas cartas para as vizinhas. Como Pedro "tinha uma letra melhor', como ele mesmo conta em entrevista para o El País, ele também escrevia as cartas - foi aí que surgiu o interesse do jovem em escrever e a criar histórias.

3. Almodóvar já foi professor

Depois que ele começou a escrever as cartas para ajudar a mãe, ela o colocou para dar aula para os moços do campo. "Tinham 17, 18 anos", conta Almodóvar na mesma entrevista para o El País.

4. Antes de ser diretor, ele cantava numa banda

Pedro Almodóvar, na verdade, já foi cantor de uma banda. Alguns fontes pontuam, inclusive, que ele se travestia nas apresentações e que se jogava completamente na performance.

5. Começou sua carreira nos anos 70

Almodóvar só foi começar a se envolver seriamente com o cinema nos anos 70, quando ele gravou uma série de curta-metragens. Longa mesmo ele só foi fazer depois. Seu primeiro filme como diretor, Pepi, Luci e Bom, foi lançado em 1980.

6. Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos deu reconhecimento internacional para o diretor

Lançado em 1988, o filme Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos fez com que Almodóvar se tornasse um sucesso e reconhecido internacionalmente.

O filme foi indicado como Melhor Filme Estrangeiro em várias premiações norte-americanas, sendo elas o OscarGlobo de OuroNational Board of Review e New York Film Critics Awards. O longa ganhou a categoria tanto no Board of Review e no New York Film Critics.

No Reino Unido, a comédia recebeu uma indicação de Melhor Filme Estrangeiro no BAFTA, maior premiação do cinema da região. Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos também recebeu diversos prêmios, como Melhor Diretor no David di Donatello Awards (Itália), Melhor Roteiro no Venice Film Festival (Itália), Melhor Atriz para Carmen Maura no European Film Awards, e Melhor Atriz, Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Edição, Melhor Filme e Melhor Roteiro Original no Goya Awards, da Espanha.

7.  Primeiro (e único) diretor espanhol a ser indicado em um Oscar

Além de ter lançado Almodóvar para o mundo, o filme Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos também rendeu a primeira indicação para a Espanha na categoria de Melhor Diretor.

Até o momento, nenhum outro diretor espanhol foi indicado na categoria.

8. Uma de suas características mais fortes é o uso da cor vermelha

Almodóvar é conhecido por usar cenas com cores vibrantes e vivas, mas principalmente o vermelho.

O seu uso de cores, inclusive, acabou por se tornar parte de uma letra escrita por Adriana Calcanhotto para a música Esquadros: "Eu ando pelo mundo / Prestando atenção em cores / Que eu não sei o nome / Cores de Almodóvar / Cores de Frida Kahlo".

9. As cores fortes, na verdade, são parte do estilo kitsch do diretor

Misturando drama e comédia, abordando temas como sexualidade, morte, religião, relação entre pais e filhos e as crises espanholas, Almodóvar também abusa de um exagero para contar sua história através da estética.

E tudo isso faz parte do estilo kitsch, qual o diretor usa em seus filmes: essa maneira de fazer arte usa cenários e figuras coloridas, faz referências à pop art, usando o exagero ainda mais para reforçar alguns aspectos culturais que ele tenta transmitir em seus longas.

10. Seus filmes são quase sempre protagonizados por mulheres fortes

Os filmes de Almodóvar são, quase sempre, protagonizados por mulheres fortes, como o próprio Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos.

Ele aborda várias mulheres que superam acontecimentos duros como tragédias, traições e abuso sexual. Além disso, ele sempre mostra relações femininas fortes, seja essa relação de amizade ou familiar.

11. Ícone LGBT que leva visibilidade para seus filmes

Além de dar um grande destaque às mulheres, Almodóvar também leva visibilidade LGBT para seus filmes - afinal, o diretor é gay e nunca escondeu isso em seus filmes.

Em uma declarção de 2013, o diretor disse que Os Amantes Passageiros é o seu filme "mais gay" - o longa é protagonizado por comissários de voo gays.

Em Má Educação, Almodóvar conta a história de Ignacio e Enrique, amigos de infância que se apaixonam num colégio religioso e se reencontram anos depois. Já em Labirinto de Paixões, o diretor conta história de amor entre Riza, o filho gay de um imperador do Oriente Médio, e o cantor Sexi.

12. Possui duas musas no cinema e apenas um muso

Almodóvar possui duas musas no cinema, as quais ele gosta de trabalhar em vários filmes: Carmen Maura Penélope Cruz. Ele começou a dirigir Penelope Cruz em Carne Trémula (1997), e a dirige até hoje, em Dor e Glória.

O diretor também possui um muso: Antonio Banderas, é claro. O ator já participou de seus filmes de Almodóvar, de quem é amigo íntimo.

13. Gosta bastante do Brasil, já passou férias aqui e é amigo do Caetano Veloso

Almodóvar possui uma relação bem estreita com o Brasil: além de ter passado as férias aqui em 2016, em Salvador, quando ele conheceu Wagner Moura, o diretor também é um grande amigo de Caetano Veloso.

Caetano Veloso levou recentemente a turnê que tem com os filhos Moreno, Zeca e Tom, Ofertório, para a Europa. E claro que Almodóvar foi prestigiar o amigo no show em Madrid, no dia 23 de julho de 2018.

Em entrevista para a BBC em 2002, Almodóvar revelou que conheceu Caetano Veloso 7 anos antes. 

14. Caetano já apareceu em um dos filmes de Almodóvar

A amizade dos dois é tanta que Caetano até aparece no 14º filme do diretor, Fala com Ela

Na participação especial, Caetano Veloso aparece em uma festa no filme, cantando em espanhol.

Na mesma entrevista para a BBC, Almodóvar conta que Caetano lhe mostrou a versão da música então inédita Cucurrucú Paloma.  "Fiquei impressionado. Me emocionou tanto que tinha que colocá-la em algum filme. Caetano recria a música e extrai matizes que ninguém tinha sonhado", ele disse.

15. O personagem de Antonio Banderas em Dor e Glória é o alter ego de Almodóvar

Em entrevista ao El País para promover seu novo filme, Pedro Almodóvar revelou que o papel vivido por Antonio Banders em Dor e Glória é um alter ego do cineasto.

"Tinha acabado de escrever um roteiro que não me convencia totalmente e o deixei de lado", ele conta. "Comecei então a pensar que preferia escrever algo interno, em que a documentação fosse eu mesmo."

Almodóvar continua: "Estou sempre me projetando nos meus filmes. Mas o que é certo é que, embora todos os meus filmes me representem, este me representa muito mais do que qualquer outro."

"Fui um pouco mais longe", o cineasta finaliza. "Mais do que nunca, minha alma está no filme."

16. Mas não, ele não consumiu heroína como o personagem

Na mesma entrevista, Almodóvar diz que, no entanto, ele não consumiu drogas como o diretor de cinema retratado no novo filme. "Tudo começou quando meus problemas nas costas me deixaram confinado em casa. Um dia me vi como um personagem", ele conta.

"Como os analgésicos não faziam efeito emim, sonhei que meu personagem recorria à heroína para suportar a dor", diz Almodóvar.

Outra história, no entanto, é real: a da mortalha é verdadeira. "Essa, especificamente, ocorreu com minha irmão Antonia, a mais velha", conta Almodóvar. "Minha mãe viajava com a mortalha, deu-lhe instruções sobre como queria ser enterrada e minha irmã cumpriu seu desejo."

17. Dor e Glória teve várias cenas improvisadas

Na mesma entrevista para o El País, Almodóvar revelou que a cena entre a mãe e o filho em Dor e Glória foi totalmente improvisada, ela não estava no roteiro.

"Essa conversa nunca ocorreu", conta o diretor, comparando o filme com sua vida pessoa. "Não é real porque não é minha vida, eu nunca tive essa relação com minha mãe. No entanto, é verdade que nessa cena estou tocando em algo que não tinha tocado antes. Essa sequência resume de um modo profundo e doloroso alo que não tem a ver tanto com minha mãe, mas com minha infância e adolescência."

18. Afinal, Dor e Glória aborda a relação de Almodóvar com sua sexualidade, não com sua mãe

"Este filme não tem tanto a ver com minha relação com ela, mas com minha sexualidade e com o fato de ter sido um menino diferente", conta o diretor para o El País.

Mas já sobre retratar sua mãe em um filme, o diretor indica em qual longa será possível ver uma imagem mais fiel: "O retrato mais direto de minha mãe está em A Flor do Meu Segredo, onde Chus Lampreave é ela em cada frase."

19. Pedro Almdóvar tinha pensado em outra pessoa, mas viu que Banderas era a melhor escolha

Banderas é o muso de Almodóvar. Mesmo assim, ele tinha pensado em outra pessoa para protagonizar seu novo filme, como conta na entrevista para o El País: "Eu tinha alguma outra alternativa na cabeça. Por saúde mental, procuro não depender de um só nome. Mas sabia que ninguém podia fazer como ele."

"O mais legítimo era Antonio", ele disse. "Porque viveu ao meu lado muitas das coisas que estão no filme. Saíamos juntos todas as noites nos anos 80."

20. Já fez uma colaboração especial com a Dior

Para seu 20º filme, Julieta, Pedro Almodóvar fez uma colaboração especial com a Dior para o figurino. Como seu estilo faz uso de cores fortes e looks exagerados, o figurino do filme virou um ícone no mundo da moda.

21. É bem, bem premiado

Além de ser o primeiro diretor espanhol a ser indicado em um Oscar, Almodóvar também coleciona uma série de prêmios de deixar qualquer cineasta com inveja.

Confira a lista:

Globo de Ouro 

- Melhor Filme Estrangeiro com Tudo Sobre Minha Mãe (1999) 
- Melhor Filme Estrangeiro com Fale com Ela (2002)

Academia Britânica de Artes do Cinema e Televisão (BAFTA). 

- Melhor Filme Estrangeiro com Tudo Sobre Minha Mãe (1999)
- Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Roteiro Original com Fale com Ela (2002)
- Melhor Filme Estrangeiro com A Pele que Habito (2011)

Festival de Cannes 

- Melhor Diretor e Melhor Filme (juri popular) com Tudo Sobre Minha Mãe (2002)
- Melhor Roteiro com Volver (2006)
- Prêmio Juventude com A Pele que Habito (2011)

E agora, Melhor Ator para Antonio Banderas por Dor e Glória.

O novo filme de Pedro Almodóvar, Dor e Glória, estreia no dia 13 de junho.

Redação Digital
Leia Mais:

Assine e Ganhe

FAMOSOS

  1. 1 A informação de que os protagonistas de 'Nasce Uma Estrela' estariam sob o mesmo teto é falsa Lady Gaga e Bradley Cooper não estão morando juntos, diz site
  2. 2 Ricky Martin pede renúncia do governador de Porto Rico, após vazamento de mensagens homofóbicas
  3. 3 Beyoncé e Jay-Z se encontram com Príncipe Harry e Meghan Markle
  4. 4 Ludmilla comemora sua vitória no Show dos Famosos
  5. 5 O boato da vez é que Lady Gaga está morando com Bradley Cooper